Você possui dúvidas?

INFORMAÇÕES DO PROJETO, PROCESSO DE DOAÇÃO DE SANGUE E COMPATIBILIDADE
O Socilogue?
Pelo Socilogue, o Doador pode receber notificações?

Sim, o usuário recebe a data da próxima doações.

E o estoque de sangue fica disponível para consulta? Quem pode visualiza-lo?

Sim, porém apenas o doador pode consultar o estoque de sangue.

O Receptor só pode ver os doadores?

Sim, desde que o Doador esteja com a conta pública, nesses casos o Receptor pode inclusive solicitar doação para o mesmo.

Existe a possibilidade do doador conhecer o receptor que recebeu sangue dele?

Existe, para isto acontecer é necessário as duas contas estarem públicas e algum deles consultar o link no Facebook do outro.

O que o Empresário pode consultar?

Apenas a data doação de seus colaboradores, para isto é necessário ambos estarem cadastrados.

A Empresa cadastrada no Socilogue recebe notificação da doação de seu colaborador?

Sim, desde que seu colaborador esteja cadastrado e com a empresa atualizada.

O Processo de Doação de Sangue?
Quem pode doar?

Pesar no mínimo 50kg.

Estar em boas condições de saúde.

Estar alimentado, evitando alimentação gordurosa quatro horas antes da doação.

Dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas.

Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido antes dos 60 anos.

Ter a autorização de pais e responsáveis, caso o interessado a doar seja menor de idade.

Ter documento original com foto recente e apresenta-lo.

Quantas vezes o homem pode doar sangue em um ano?

No máximo quatro doações em um ano, sendo que o intervalo entre uma doação e outra é no mínimo de 60 dias.

Quantas vezes o mulher pode doar sangue em um ano?

No máximo três doações em um ano, sendo que o intervalo entre uma doação e outra é no mínimo de 90 dias.

Quem não pode doar?

Quem já teve doenças como Hepatite (após os 10 anos de idade), Malaria, Leucemia e outros tipos de câncer, entre outras doenças.

Possui Doença de Chagas, HIV ou possui graves problemas no Pulmão, Fígado, Rins e Coração, entre outros.

Recebeu enxerto de Duramater.

Quem ainda não completou cinco anos de cura de Tuberculose Pulmonar.

A Compatibilidade Sanguínea?
Tipo A+

Doa sangue para os tipos A+ e AB+ e recebe sangue dos tipos A+, A-, O+ e O-.

Tipo A-

Doa sangue para os tipos A+, A-, AB+ e AB- e recebe sangue dos tipos A- e O-.

Tipo B+

Doa sangue para os tipos B+ e AB+ e recebe sangue dos tipos B+, B-, O+ e O-.

Tipo B-

Doa sangue para os tipos B+, B-, AB+ e AB- e recebe sangue dos tipos B- e O-.

Tipo AB+

Doa sangue apenas para seu mesmo tipo sanguíneo, porém recebe de todos os tipos sanguíneos.

Tipo AB-

Doa sangue para os tipos AB+ e AB- e recebe sangue dos tipos A-, B-, AB- e O-.

Tipo O+

Doa sangue para os tipos A+, B+, AB+ e O+ e recebe sangue dos tipos O+ e O-.

Tipo O-

Doa sangue para todos os tipos sanguíneos, mas recebe apenas de seu mesmo tipo sanguíneo.

Por que Socilogue?

UM PROJETO QUE INTEGRA A SOCIEDADE

Doador

O Doador terá muito mais comodidade e informações sobre o estoque de sangue da unidade de doação, além de receber notificações.

Receptor

O Receptor poderá conhecer pessoas que doaram sangue para ele, caso esse Doador tenha seu cadastro público, além de poder solicitar sangue.

Entidade

Informações a respeito de seus colaboradores cadastrados, facilitando em sua organização e proporcionando maior transparência.

Unidade de Doação

Maior controle dos doadores regulares e de possíveis doadores, publicações de campanhas e envio de notificações.

Sobre o Socilogue

CONHEÇA UM POUCO DA HISTÓRIA DO SOCILOGUE

Francisco de Freitas

 Graduado em Sistemas 
para Internet no IFSUL

O Sociedade pelo Sangue, também chamado de Socilogue, foi criado e desenvolvido por Francisco de Freitas Kemle, natural de Pelotas, no sul do estado do Rio Grande do Sul, durante o ano de 2018.

O projeto foi criado com a finalidade de aumentar o número de doadores de sangue na sociedade, além de contribuir na organização pessoal dos que já são doadores de sangue, para eles permanecerem contribuindo na coleta de sangue com maior comodidade, além de representar um controle maior para a Unidade de Doação.

Nesse contexto, foi analisada a dificuldade de manter doadores frequentes e atrair novos doadores para contribuir na recuperação de enfermos, além do quanto pode ser fundamental o encontro entre o doador e o receptor para motivar ainda mais o doador a salvar mais vidas e ver quem foi salvo.